Sedutores enganadores

Existe gente muito bem articulada que vive impressionando as pessoas com sua inteligência, simpatia, solicitude, mas que.tudo não passa de uma manobra muito bem elaborada para enganar os outros. São pessoas que vivem naturalmente assim. Vivem para envolver e ludibriar os outros.

Esse tipo de gente não olha as pessoas como seres que têm sentimentos, isto é, são completamente desprovidos de empatia, pois não conseguem se colocar no lugar do outro mesmo que tentem – embora nunca tentem.

O interessante é que quem nunca conheceu uma figura dessas sempre pergunta :

“como é que alguém se permite envolver a ponto de ser enganado e, não raro, dominado por períodos, muitas vezes, signficativamente longos ?”
Essa é uma pergunta fácil de se fazer, mas muito difícil de se responder.

Embora as pessoas atribuam o mérito e a culpa a esses malandros recheados de sapiência, todos sabemos que eles contam com uma grande colaboração de suas vítimas. É como manter a porta aberta da sua casa num bairro perigoso e tentar transferir a culpa de não ter tomado precauções para a segurança pública.

 

De qualquer forma, essas figuras nebulosas são exímias rastreadoras do estado emocional das pessoas, agindo como verdadeiros vampiros a procura de fraquezas. Quando detectam uma vítima contam com sua desatenção, uma vez que, normalmente, ela se encontra fragilizada e com sua capacidade de discernimento comprometida, acabando por tornar-se propensa a ser enganada. Se por um lado a vítima está cega sem perceber a armadilha, pelo outro entrega-se ao envolvente soar daquilo que quer ouvir ou daquilo que mais necessita sentir, para aliviar o estado em que se encontra.

Alguns desses estelionatários emocionais eu tive a infelicidade  de conhecer pessoalmente, outros eu apenas ouvi falar, e sempre em meio a histórias que fatalmente terminam de forma muito triste.

O mundo jamais se livrará dessas obscuras figuras e sempre haverá gente debilitada emocionalmente para que eles se “alimentem”. Contudo, todos sabemos da existência desses vampiros, o que já nos tira da condição de inocentes, ou seja, ter essa consciência é o suficiente para que jamais nos entreguemos totalmente nas mãos de alguém.

É claro que uma ajuda é sempre bem vinda nos momentos difíceis, mas jamais devemos abandonar nossa inteligência para ficarmos a mercê das emoções, pois o desequilíbrio nos torna frágeis.

Em outras palavras, a maior proteção que dispomos contra os “criminosos emocionais” está na nossa própria natureza, a qual nos dá vida, independente da vida do outro e isso sem tirar nada de ninguém.

Postado por Dalton Cortucci

Pois é…Muito bom texto!

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s